Depois dos Quarenta: Moda

Moda

Soundtrack: as músicas dos desfiles do segundo dia do inverno 2014 do SPFW

|

  (Foto:  )

A cúpula do Theatro Municipal de São Paulo foi o local escolhido por Alexandre Herchcovitch para apresentar o desfile mais bonito do dia. A ideia para a trilha, muito criativa, foi convidar o Quarteto de Cordas da cidade para se apresentar ao vivo. Ali, os músicos se inspiraram, por ideia do próprio Alexandre, no quarteto nº 5 de Villa-Lobos. Para quem não sabe, o Quarteto foi fundado por Mario de Andrade em 1935 com o objetivo de difundir a música de câmara e estimular compositores brasileiros. A sutileza da música tocada nos violinos com o contraste da luz externa que preencheu de forma radiante o espaço secreto do teatro tornou tudo lindo, leve e crescente a cada momento. Marcelo Jarre, um dos integrantes do projeto, nos contou que a grande preocupação deles era fazer o desfile evoluir em torno daquela sonoridade. E aconteceu.

A Acquastudio, de Esther Bauman buscou o universo da diva alemã Marlene Dietrich nos anos 40 e o DJ Zé Pedro usou a sensibilidade do piano de cordas e violinos para situar as roupas e o clima da época em sua trilha. O músico super cool francês Sebastien Teller abriu a passarela com a faixa “Adieu Comme Un Jeu”. Na sequência, ouvimos uma bela versão de cordas de “Like A Virgin” da Madonna que conversou com as rendas e a feminilidade das roupas dando um up nos anos 80.
A estilista Juliana Jabour, junto com a label Sound Proof (dos DJs Daniel Tamenpi e Rodolfo Tavares) apostaram na música um pouco enigmática e o maior destaque foi com a música “Awake”, do produtor californiano Tycho, conhecido por seu som que mistura downtempo e ambient techno.

Fernanda Yamamoto utilizou os anos 50 como inspiração para sua coleção e a trilha criada por Max Blum teve a única música “Candy Tongue”, do produtor dinamarquês Trentemøller, conhecido por remixar artistas como Kings of Convenience, Depeche Mode, Franz Ferdinand e Royksopp. Para Marie Fisker, vocalista dessa faixa incrível, a canção fala sobre pontos de mudança na vida e que quando algo está para mudar, cabe a nós decidir qual direção tomar, em qualquer época ou espaço.

Por fim, a escolha musical do designer baiano Vitorino Santos foi do também produtor de música eletrônica Jon Hopkins, que já trabalhou com artistas como Brian Eno e Coldplay. A música “Collider“ nos remetia a um club underground de uma grande cidade cosmopolita e pudemos imaginar facilmente as peças nesse lugar imaginário.

Reviews da equipe Rádio Ibiza na Cobertura Musical da SPFW para Vogue Brasil feitos por Levy Gasparian, Mary Olivetti, Rodrigo Rodríguez e Yasmin Vilhena.

Comentários do Facebook
0 Comentários do Blogger

Nenhum comentário:

Postar um comentário